Artigos SocialHostInformações do Terceiro Setor

 

Do que o povo brasileiro precisa?

Serviços públicos de qualidade. Saúde. Educação. Cultura. Moradia. Transporte. Segurança. Cenário urbano harmônico. Trânsito controlado. Bem estar. Trabalho e salário merecido. Laser. Meio ambiente preservado. Acesso às tecnologias. Alimentação saudável. Impostos justos e cargas tributárias apropriadas.

Ser governados por políticos éticos e corretos, que gerenciem o dinheiro público para o bem comum e pelo interesse de todos.

Respeitar e ser respeitado como cidadão, com todas suas diversidades e características.

Despertar em si a responsabilidade de seus atos, o altruísmo com seus semelhantes, o comprometimento com as outras formas de vida, e a consciência de seus deveres de cidadania.

PACATO CIDADÃO

“Ô pacato cidadão, te chamei a atenção não foi à toa não. C´est fini la utopia, mas a guerra todo dia, dia a dia, não.”Trecho da música do grupo SKANK, que faz uma reflexão de que o brasileiro nada faz para exigir dos governantes o retorno digno de seu imposto pago com suor de seu trabalho.

A carga tributária do Brasil é injusta e desorganizada e isso reflete no mercado competitivo e nos salários dos funcionários. Os impostos que os brasileiros pagam estão entre os maiores do mundo. No entanto, os serviços gerados pelos impostos pagos são de péssima qualidade. Não há retorno e ainda fica a sensação de que são esses impostos que sustentam a corrupção.

O Brasil apesar de ser rico em recursos naturais e com um PIB (Produto Interno Bruto) figurando sempre entre os 10 maiores do mundo é um país extremamente desigual na distribuição de seus recursos entre a população. Os gestores políticos entendem essa desigualdade e de maneira paliativa tentam corrigir esse grave problema através de transferência de renda com a distribuição de bolsas. Embora esse programa tenha impactado de forma positiva para diminuir a desigualdade, é desorganizado, e o que deveria ser temporário acaba efetivado como forma de domínio político entre a população beneficiária desse serviço.

SERVIÇOS PÚBLICOS DE QUALIDADE

Se há um recolhimento grande de impostos e taxas, para onde é direcionado esse recurso, que deveria voltar como serviço de qualidade ao cidadão?

O brasileiro é capaz de identificar as mazelas dos governantes, mas não consegue transformar essa indignação em um movimento popular capaz de fazer mudar a atitude do governo. Em uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, 79% dos entrevistados afirmou que a corrupção é associada ao serviço público e 72% acha que os políticos só querem se dar bem na vida. O Brasil tem os políticos mais caros do mundo e é um cargo altamente cobiçado, tanto pelos privilégios como pelo alto salário complementado ainda pelo contra-cheque que corresponde a cerca de um quarto de tudo o que recebem senadores e deputados por meio de verbas e auxílios extraordinários. Muito desigual ao salário mínimo pago para grande parte do trabalhador brasileiro. A revolta da nação no ano passado se referia também aos mega-salários e a farra do dinheiro público sem a devida correspondência em soluções aos problemas enfrentados diariamente pela população, como falta de atendimento médico nos hospitais, o transporte superlotado nos grandes centros urbanos, escolas sem infraestrutura e o baixo salário dos educadores. O povo se sentindo roubado pelos governantes perde a noção do que é certo, justo, ético e honesto. Pior de tudo é ver acabarem “em pizza” todos os crimes cometidos por políticos.

Nesse país tão desigual e onde falta a educação, a necessidade de segurança é ainda maior. O sistema penitenciário precisa de mudança, um criminoso não pode ser tratado como celebridade. A sociedade honesta e trabalhadora não pode sustentar quem lhe aterroriza. O preso deve  sim receber todo apoio de direitos humanos e do governo, mas deve trabalhar para se manter, deve retribuir à sociedade o que lhe tirou. Trabalho em produção de telhas e tijolos para construção de escolas, plantio de mata ciliar, limpeza de rios, praças, ruas e praias, são exemplos que poderiam servir na recuperação da dignidade de um criminoso.